Categorias
cuidadores cuidar maiores

Cuidar com os animais de estimação

Animais de estimação e cuidar?

Os animais de estimação são facilitadores do ato de cuidar dos nossos Maiores. Quando se proporcionam cuidados aos nossos maiores, sobretudo em ambiente familiar, o Cuidador sabe que é o foco de atenção da Pessoa mais velha e o garante do seu bem-estar físico, social e emocional.

2021-07 - Lulu e os Maiores - Cuidar na Companhia dos Focinhos
Fotografia de Zen Chung no Pexels

Esta responsabilidade pode ser muito cansativa e esgotante, sobretudo quando o nível de dependência da pessoa vai aumentando.

Por outro lado, a intensa dedicação e compromisso do Cuidador, pode de uma forma inconsciente contribuir para que o Pessoa mais velha perca mais rapidamente a autonomia e as suas competências sociais, porque desenvolve uma dependência social e emocional, muitas vezes sem retorno. Neste contexto, …

… os animais de estimação podem ser um suporte muito relevante para o Cuidador…

… particularmente se este souber aproveitar todo potencial de afeto que as Pessoas mais velhas têm por esses animais e que lhe é correspondido incondicionalmente. 

Cães ou gatos?

Os animais, como o cão e o gato, que fazem parte da vida dos nossos maiores, são um suporte emocional, sobretudo em momentos de solidão e isolamento, e portanto os laços que se estabelecem entre eles são muito fortes. Estes laços não devem ser quebrados pelo Cuidador, antes pelo contrário, devem ser reforçados sempre que possível, para que os animais possam ser facilitadores no ato de cuidar.

Um cão ou um gato, proporcionam aos Maiores um objetivo e sentido de responsabilidade quando estes têm a necessidade de planear o seu dia em função das tarefas que são necessárias para cuidar diariamente de um animal, como por exemplo, escovar o animal, preparar as suas refeições, limpar a caixa de areia do gato, ou passear na rua com o cão.

Todas as atividades que o Pessoa mais velha possa realizar com o animal, devem ser incentivadas pelo Cuidador que, de preferência, não deve interferir na sua realização.

Ou seja, se hoje não escovou o cão, não faz mal, escova amanhã, ou se a caixa do gato não foi limpa à mesma hora, não faz mal, poderá fazê-lo no momento em que se recorda, de forma tranquila e sem censura. 

Exemplos de rotinas…

Exemplos de algumas rotinas no ato de cuidar de um cão, que são extremamente benéficas para os nossos maiores:

  • o passeio “higiénico” com o cão, mesmo que seja curto, evita que a Pessoa mais velha fique sentada e imóvel durante muito tempo ao longo do dia, e estimula a memória e a noção do tempo, porque tem que se lembrar que tem que ir passear o cão a uma determinada hora do dia, e além disso, promove o contacto social, porque durante o passeio surgem oportunidades de iniciar uma conversa com outras pessoas que também passeiam os cães, ou com alguém que quer fazer uma carícia ao cão;
  • escovar um cão ou um gato, além de ser um estímulo motor e de controlo dos movimentos, promove o contacto físico, proporcionando um momento tranquilo e uma sensação de bem estar, que se deve à libertação de dopamina e à diminuição da adrenalina, tal como mencionado em vários estudos.

O foco emocional de uma Pessoa mais velha pode ser partilhado entre o Cuidador e o animal de estimação, e portanto, todos os momentos, em que a pessoa está na companhia do seu animal de estimação, o Cuidador pode focar-se no autocuidado, que é tão importante!

Rita Faria da Companhia dos Focinhos

Partilhar:

Por Rita Faria

Técnica de Intervenções Assistidas por Animais